Tecnologia reúne mais de 200 pessoas dos cinco continentes

Texto:  Eliana Santos, Érick Oliveira, Jorge Alves Júnior

 

Tecnologia –Família na Índia acompanha o evento online

Família na Índia acompanha o evento online (Foto: Eliana Santos)

Tecnologia, usada com criatividade, tem sido  grande aliada durante o tempo de distanciamento social, provocado pela pandemia da Covid-19.

EMPREENDEDORISMO E CORONAVÍRUS

As redes sociais e as infinitas possibilidades e  recursos que a tecnologia oferece, se apresentam como de extrema necessidade.  Sendo assim, empresas, escolas, hospitais, grupos diversos e até mesmo igrejas as têm usado criativamente e de forma massiva. Inclusive eventos em nível global são realizados. Esse é o caso do Praying Together, da Congregação das Irmãs de São José, em Caxias do Sul (RS).

Em abril, via plataforma de videoconferência e Facebook, o evento  foi um marco histórico por seu alcance, reunindo moradores de cinco continentes. Portanto, foi um convite a rezar pela saúde da humanidade, um momento de união de preces. Assim, a equipe da Coordenação Geral da Congregação,  sediada em Roma, na Itália,  convocou o evento. “Convidamos toda a Congregação a se unir em oração na mesma hora com todos os afetados por esta pandemia global. Os pacientes, suas famílias e entes queridos, toda a equipe hospitalar e de saúde, entre outros que se arriscam a alimentar e cuidar dos pobres”, explica a Coordenadora Geral.

AÇÕES DE SOLIDARIEDADE EM CAXIAS DO SUL E REGIÃO

Com tecnologia,  a igreja digital

Pessoas dos cinco continentes se conectaram para rezar juntas.  Assim, ao todo, 50 grupos se reuniram e se conectaram  via videoconferência. Em cada grupo  havia, no mínimo, três  participantes. Pela plataforma Facebook, porém,  não é possível ter o número exato de pessoas que acompanharam. No entanto,  o que se sabe é que o evento atingiu quase 7 mil pessoas, gerou mais de 4 mil visualizações e teve 339 participações diretas pelos comentários.

Jona Chinnappa, indiana que mora em Chambéry,  é religiosa e coordena o grupo de freiras no país.  “Na França todas as Irmãs participaram”, comemora ela. “Agradecemos a todas as pessoas que desenvolveram essa tecnologia de comunicação pela qual pudemos estar juntos em oração e até trocar sinais de amizade de uma extremidade do mundo para outra”, diz ela. Os familiares de Jona, na Índia,  também acompanharam. “Paramos o trabalho, mas nunca deixaremos de orar por toda a humanidade, aterrorizada pelo medo e pela angústia. A telinha tornou-se uma igreja para unir o planeta inteiro. Tivemos uma experiência espiritual,” afirma um dos membros da família.

No Paquistão

Sumaira, paquistanesa da cidade de Quetta, participou do evento e   expressa o quanto a tecnologia tem sido parceira no que se refere a encurtar caminhos.  “O mundo é conhecido como aldeia global e com o avanço da tecnologia nos sentimos tão unidos! Dessa forma, a tecnologia tem percorrido as distâncias, são inúmeras as vantagens que ela nos oferece.  Assim, nos unimos, nos aproximamos neste momento de  tristeza  e formamos uma  ‘rede do amor'”.

Tecnoiogia – Grupo de paquistanesas se conectam e rezam pela humanidade

Grupo de paquistanesas se conectam e rezam pela humanidade  (Foto: Eliana Santos)

 

Na Itália

Rosalba Sacaturo, que acompanhou as orações na cidade de Ferentino, confirma  que “a tecnologia tem sido capaz de unir muito mais pessoas dos diferentes continentes.  Portanto, ter claro o  ‘inimigo’ a ser combatido nos fez redescobrir a necessidade um do outro”, garante ela . “Saber que todos nós – dos continentes – estávamos ao mesmo tempo em frente ao computador, juntos, com um grito silencioso para o céu,  foi muito forte”, relembra a religiosa.

 

Nos Estados Unidos

Membro da ONG (Congregação de São José) na ONU, Bárbara Bozak acompanhou o evento, em Windsor. Segundo ela, o encontro de religiosas,  associadas e amigos de todo o mundo foi “inspirador e reconfortante no conhecimento de que, em todos os continentes, estávamos unidos na esperança.   Foi a primeira vez que nos empenhamos em tal esforço”, declara Bárbara.

 

Na Bolívia

A fisioterapeuta Ericka Rodriguez, que vive em San Ramón, El Beni,  enfatiza a conectividade proporcionada pelas redes sociais, em tempos de pandemia. “Senti-me unida a toda as pessoas que, pelas redes sociais, acompanharam esta oração. Foi maravilhoso sentir como todos nós estávamos conectados com um só sentimento, cheios de esperança e fé”, afirma.

PREÇO DO DESCRÉDITO NA CIÊNCIA E NA MEDICINA É ALTO

 

No Brasil

Ana Amélia de  Miranda, de Marituba, no Pará, diz que foi  forte a experiência da vivência de união  com o mundo, com o povo, com a natureza e com Deus. Dessa forma, destaca: “Foi uma oportunidade que só a conexão com as mídias nos oferece”. De Indaiatuba, São Paulo,  Célia Regina List também dá seu depoimento.  Foi uma “profunda conexão principalmente por saber que, ao mesmo tempo, todas estávamos unidas. Foi bacana, no final,  ver a empolgação de cada grupo, nos diferentes cantos do mundo, dando um ‘oi’, ‘olá’, ‘hello‘  para as participantes na tela do Zoom.”

O acesso à tecnologia no Brasil, apesar de não estar disponível a toda população, tem crescido nos últimos anos. Segundo dados do IBGE de novembro de 2019, 79% dos brasileiros têm Internet fixa ou móvel em casa.

Porcentagem do uso da Internet no Brasil

Dados de uso da Internet no Brasil

Fonte: G1 – Pesquisa TIC Domicílios 2019  (Infográficos: Erick  de Oliveira)

 

Esse acesso á Internet  facilita a vida das pessoas,  inclusive em lugares mais remotos. Sueli Zanatta, que mora no assentamento Eldorado, no interior do Mato Grosso do Sul, acompanhou o evento pelo Facebook. Sendo assim, afirma que  “essa possibilidade técnica nos ajudou a estar em unidade e sintonia em nível mundial”.  Também, do Paraná, Nelza Delazari diz que “ao mesmo tempo, pessoas do mundo inteiro se uniram em oração, graças aos meios de comunicação”. E, Edilse Klein, de Santa Catarina, completa:  “Foi uma conexão de vida, que somente a tecnologia, neste momento, pode realizar.

A CONEXÃO ENTRE  TECNOLOGIA, SOLIDARIEDADE E CIÊNCIA

Idosas, na casa de Repouso, apreciam o evento

Idosas, na Casa de Repouso, apreciam o evento  (Foto: Eliana Santos)

 

Na Serra gaúcha

Tecnologia – Em Garibaldi, um grupo de religiosas acompanhou, o momento de prece na Casa de Repouso “Betânia”.  Eulália Antoniazzi fala que  as mais idosas demoraram em acreditar que todas  estavam, ao mesmo tempo, unidas em oração. Assim, ressalta que os sentimentos expressos foram de alegria e de admiração. Segundo Eulália, disseram que é um  privilégio viver nesta época, quando os meios de comunicação evoluem tanto. Em Caxias do Sul, As irmãs de São José conectaram-se dos bairros Cruzeiro, Panazzolo, Capivari e Cidade Nova, além da área central do município.

Leia Mais:
Influência digital muda rotina gaúcha
Lives são a alternativa adotada pelo setor musical
Esporte mais popular do planeta, o futebol sofre impacto da pandemia
Os 30 anos do super Nintendo fazem lembrar o Rei dos 16-Bits
Odisseia no espaço: telescópio Hubble completa 30 anos de lançamento

Leia Também:
Criatividade e tecnologia no esporte
Tecnologia e educação nos tempos de covid 19

Compartilhe nas suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *